terça-feira, 19 de abril de 2011

o apoio

Não expliquei o porquê do apoio ao cartunista Solda.

Ele foi demitido do site Paraná-on-line, injustamente acusado de ter feito uma charge racista sobre a visita de Obama ao Brasil.

A charge é esta aqui:

37 comentários:

girino disse...

A charge existe na internet? fiquei curioso!

Bill disse...

aaah, tá!

Zed disse...

http://afacaamolada.wordpress.com/2011/03/24/polemica-solda-demitido-por-charge-sobre-visita-de-obama/

Rafae disse...

Cara, que ignorança!
Ele é que devia demitir o jornal, porque eles não entenderam a piada mesmo!

Cesar Kayanoki disse...

Tá tudo virando 1984 e A revolução dos Bichos.

Rogério disse...

Vai me desculpar, mas "Obama", "negro" e "macaco" são elementos que não se coloca juntos na mesma charge de jeito nenhum. O chargista foi ingênuo de pensar que isso não causaria essa repercussão, principalmente quando se trata de uma charge ruim, que comete um pecado capital para uma charge: a falta de sentido claro e rapidamente compreensível. Ficou esquisito, de fato. O autor foi profundamente infeliz na elaboração do desenho e deixou o jornal em situação complicada. Agora falam em censura e etc? Queriam o que? Ficou estranhíssimo, sim. Não dá pra negar isso!

noname disse...

Cara, sou contra todo tipo de censura, e contra todo tipo de racismo. Alem disso, acho que algumas piadas podem ser feitas com bom gosto, mesmo ameaçando ultrapassar uma linha tênue entre a piada e a ofensa.

Me desculpe, mas apesar de não ser exagerada, a charge é um tanto ofenciva, sim.

Como disse outro comentario, "misturar Obama/macaco/banana" numa mesma piada é dificil de não dar uma dupla interpretação.

E se existe uma piada escondida nisso, eu sinceramente não entendi. Posso ser burro, ok, não entendi a piada. Mas exatamente por isso, ou ela devia ser mais clara, ou não devia usar os elementos.

E não, não sou negro, não estou defendendo ninguem. rsrsrsrs Eles que se defendam. Mesmo porque qualquer piadinha meio diferente já somos tachados de racistas... todo mundo é muito sensivel quando o assunto é racismo.

Demian Diniz da Costa disse...

Também achei a charge de interpretação dúbia. E como disse o outro leitor, misturar banana, macaco, Obama e e referência a um negro em uma charge leva a essa interpretação.
Pode-se questionar que o jornal tenha exagerado, mas a charge poderia ter sido melhor feita.

Juju disse...

ah sim... que o macaco tá dando uma banana pro brasil... (mais ou menos isso, né) acho que algumas pessoas não viram... pois é, complicado... de qualquer forma demitir é demais, de repente o editor poderia comentar que talvez pegasse mal... quem sabe fazer diferente... não sei... a primeira vista parece que o cara tá chamando o obama de macaco por ele ser negro, e só...

Bill disse...

olha, pode não ter sido a intenção, mas com certeza soou racista.

-sOliNo- disse...

esse povo tá ficando estupidamente idiotizado com essa coisa de politicamente correto. agora é proibido colocar um negro e um macaco numa charge, mesmo que não seja uma associação racista?? vão se fuder! desculpe, laerte, mas a imbecilidade travestida de moralismo me tira do sério.

-sOliNo- disse...

chamem o DIP!

-sOliNo- disse...

e pra quem não lembra: http://nyti.ms/iiKWdn . um cartoon com macaco e obama, esse praticamente indefensável, que o jornal defendeu. delonas está lá até hoje.

hugo disse...

Só pra reforçar que a charge, como piada, é fraca, e parece mais racista do que outra coisa, mesmo. Difícil defender o nobre colega, então. Talvez não fosse caso de demissão, mas talvez essa tenha sido só a gota d'água que transbordou o copo, vai saber...

hugo disse...

Pra não dizer que é má-vontade-politicamente-correta: o máximo que dá pra dizer "a favor" dessa charge, é que o macaco representa a nós, brasileiros (e não ao Obama), e a charge quer dizer algo como "não tem nada que agradar esse cara". Acho que ele usou um macaco pra tentar aproveitar que banana tanto é um alimento quanto uma ofensa. Quer dizer, no máximo bobinha, como piada. E, de quebra, não muito lisonjeiro com o brasileiro. Talvez um pobretão/mendigo passasse a mesma idéia (de maneira até mais forte) sem resvalar no racismo.

Cesar Kayanoki disse...

Bão deixa eu ver isso aqui é racismo?

http://cezaruilustration.blogspot.com/2007/07/hugo-chavez-by-cesar-kayanoki.html

Daniel Pitta - POA disse...

Cada um interpreta a partir da sua própria maneira de como enxerga o mundo. Racista é quem associa o macaco ao Obama. Pra mim, a referência é clara: a "República das Bananas", o país dos macacos, manda seu recado: comigo não, violão. Abaixo o politicamente correto e sua geração policialesca, paranóica, cautelosa e bundona.

Rogério disse...

Se cada um interpreta a sua maneira, e racista é quem viu racismo ali, então não sei pra que existe o ofício de chargista... mas se existe é porque cabe a alguem propor uma interpretação aos outros, organizer elementos na imagem, escrever um texto, etc.

Não, a charge é ruim mesmo e só o que faltava era culpar os leitores pela má qualidade de um trabalho que deu margem a outras interpretações.

Rogério disse...

Pra esses que estão falando em "patrulhamento politicamente correto", "geração policialesca" e etc, a melhor resposta é esta:

http://2.bp.blogspot.com/_1YDL3MWvhvw/S2ok4HRxOuI/AAAAAAAABF8/6pmTQoLbvAc/s800/LAERTE-05-01-10.jpg

Daniel Pitta - POA disse...

Caro Rogério, eu não associo negros a macacos. E acho que esse também não é o seu caso. Acho, isso sim, que quem faz esse tipo de associação fará de qualquer jeito, em charges boas ou ruins. Charges, textos, pinturas, desenhos, músicas, arquitetura... todas são formas de expressão sujeitas a interpretações obscuras, mesmo quando concebidas por pessoas e artistas reconhecidamente capazes.

André Figueiredo disse...

Rogério,
irretocáveis seus comentários. Nada a acrescentar.
Só custo a crer que tenha sido ingenuidade do Solda. Claro que ele quis fazer a associação macaco-brasileiro/banana-comida e ofensa/ Brasil-república das bananas. Mas não ignora, obviamente, a associação macaco-preto-obama. Na melhor das hipóteses (também acho que ele não foi deliberadamente racista), apostou na polêmica. Apostou mal.

-sOliNo- disse...

passada a raiva inicial, volto pra dizer pq acho absurda que a paranoia facistóide do politicamente correto neste caso:

não consigo ver nesse macaco a caricatura de obama. em nenhum aspecto me parece que solda tenta apresentar obama como "macaco", mas sim ao brasileiro, dando uma "banana" pros gringos, no sentido figurado.

infelizmente o brasil anda atolado na hipocrisia e a turma das patrulhas está sempre em busca de um judas pra malhar.

o pior pra mim, além da intrepretação (essa sim) racista dos patrulhadores, foi o jornal (que devia ser um defensor da liberdade de expressão antes de tudo) ter cedido à pressão da turba das tochas e dos ancinhos.

Rogério disse...

Também achei a demissão precipitada, mas daí a dizer que a charge em questão funciona perfeitamente e transmite a mensagem que se queria transmitir... lamento. O apoio que cabe oferecer ao autor neste caso consistiria em afirmar que houve um mal entendido, que a intenção era outra, que a biografia do chargista contrasta com qualquer suposição de racismo, que o jornal exagerou e não em culpar os leitores pelo mau uso de elementos e termos socialmente estigmatizados.

hugo disse...

Se eu fosse o Solda, estaria muito mais incomodado com a falta de opinião que imputam ao seu trabalho do que com a sua demissão do jornal ou a alguma eventual censura que tenha sofrido (pois charge sem crítica/opinião embutida não deveria ser chamada de charge - talvez de "ilustração"). Alíás, no meio dessa polêmica toda, ele explicou qual teria sido a sutilíssima e complexa piada que havia na sua charge, e que ninguém entendeu? Ou ele não quis "estragar a piada"? De resto, dizer que "o racismo está nos olhos de quem vê" o mesmo que dizer que uma mulher "foi estuprada porque provocou".

Rogério disse...

Assino embaixo do que o Hugo disse. O chargista tem que se incomodar com o fato de a charge ter ficado ruim ao invés de pensar em censuras e perseguições. Nesse sentido a "solidariedade" dos colegas, com textos, desenhos e manifestações, mais atrapalha do que ajuda, já que alimenta a idéia de uma perseguição e de uma censura que só teriam sentido em face de uma boa charge - coisa que essa não é. Está sobrando corporativismo e faltando autocrítica.

Marcel disse...

Custava muito colocar um bonezinho e uma camiseta da seleção brasileira para mostrar quem é o macaco? Difícil achar que não queria que entedessem "errado".

-sOliNo- disse...

rogério e hugo:

aqui tem uma explicação do chargista solda sobre o ocorrido, embora com palavras de um leitor:

http://leonardoaraujo00.blogspot.com/2011/03/resposta-de-solda.html

não acho que estejamos discutindo a qualidade ou clareza da charge, mas sim ignorância, preconceito e linchamento profissional.

não acho que haja corporativismo aqui. mas defesa da liberdade de expressão. laerte publica dezenas de tiras que ninguém entende e nem por isso se pede a demissão dele.

repito: a turba das tochas e ancinhos está sempre pronta pra linchar alguém. isso é muito preocupante numa democracia que está se consolidando, como a nossa.

Rogério disse...

Não dá pra comparar a sutileza de algumas tiras do Laerte com a charge mal feita do Solda. São duas coisas diferentes: a sutileza intencional e o nada intencional resultado do Solda.

O Solda precisa assimilar profissionalmente a lição, como cartunista premiado que é, e seguir em frente. Não importa o que o chargista quis dizer, mas o que ele disse.

Não tem "patrulhamento" nem censura aqui, muito menos "turba com tochas" e "linchamento". Esse discurso geralmente é o dos Bolsonaros da vida, por isso o vejo com muita desconfiança. A melhor resposta pra isso é essa:

http://murieltotal.zip.net/arch2011-03-06_2011-03-12.html#2011_03-09_10_48_36-2063478-0

Cauê Abbá disse...

Acho patética essa história de racismo.. conceito puramente inventado pelos seres humanos... diferenças visuais entre humanos nada mais é do que produtos da evolução das espécies, adaptação em diferentes climas e ambientes... pra mim isso já encerra o assunto, parem com o falso moralismo... racismo existe nos conceitos, na prática ele é apenas uma mentira... já que todos viemos do macaco..

-sOliNo- disse...

rogério,

desculpe, mas com essa do bolsonaro acho q vc se superou. vai me chamar de "nazista" agora também? contra argumentos ad hominem não existe razão q se sustente.

"não importa o que o chargista quis dizer, mas o que ele disse"? o que "ele disse" é o q VC quer q ele tenha dito?

me desculpe mesmo, mas com esse tipo de raciocínio a gente entende pq há tanto regime autoritário nesse mundo.

pra mim, a discussão acaba aqui. não quero turbas com tochas e ancinhos na minha porta. fui.

Ofensivo por Natureza disse...

Piadas são assim mesmo. Ou você acha o "humor" politicamente correto engraçado? Francamente...

Anónimo disse...

existe um estudo na Internet que diz que nao existe discussao na internet com mais de X comments que a palavra "Nazista" não apareça.

congratulaçoes companheiros pela marca atingida.

pelo jeito, nao importa o que "discutamos" em comments, somos todos iguais no mundo inteiro.

e pior, nos achamos cultos e inteligentes

Rogério disse...

-sOliNo-

Vamos combinar o seguinte, então: o trabalho do chargista é assinar uma folha em branco, já que "é o leitor quem cria".

E se você evoca turbas com tochas pra se referir a quem discorda de você, não seja tão sensível com comparações.

Rogério disse...

Tem gente que acha que basta ser "politicamente incorreto" pra ser engraçado. "Politicamente incorreto", geralmente, significa evocar aquele humorzinho bobo e ultrapassado feito em cima de anões, gays, traídos, negros, feios, etc.

E ainda se acham os modernos, os "incorretos", os vanguardistas, ao fazer esse humor sem graça. E ai de quem criticar, porque os "libertários" os vão taxar de represores, patrulhadores, censores, etc.

Fiquem com o humor "engraçadíssimo" de vocês. Boas piadas de anões e putas pra todos.

Rogério disse...

Mas o que eu acho curioso mesmo é que querem colocar o erro do chargista na conta de quem lê (aquele discurso subjetivóide), mas os acertos dele (e a grana dos prêmios em salões de humor) é ele quem embolsa. Engraçado, né? rs

Foi mal, Solda. Sua charge ficou péssima.

Anónimo disse...

"Politicamente correto" nada mais é do que uma forma sutil de CENSURA1!!!

PAU NO CU DOS AUTORITÁRIOS QUE NÃO GOSTARAM!!!

Sandro disse...

Charge excelente, basta prestar um mínimo de atenção e fruir conhecimento de mundo ínfimo para entender que macaco é estereotípico retrato de brasileiro segundo estadunidense. Então este macaco ridicularizado pelos estrangeiros tem no mínimo que dar muita banana pro Obama e às propostas indecentes que o governo norte-americano sempre nos faz. Em algum comentário abaixo, disseram que conceber que o racismo está nos olhos de quem vê é o mesmo que dizer que uma mulher foi estuprada porque provocou - tentativa frustrada de analogia entre idéias cuja relação máxima seria nascerem de mentes reciprocamente antagonistas. Se perceber a charge, verá que não há racismo. Não só a banana não tinha intenção de entrar na sua bunda, como entrou na do seu inimigo e você ainda reclamou, pois seu imenso receio causou impressão de que aquela constipação semanal fosse uma fruta marrenta (para não dizer breve lampejo de erotismo reprimido). O único erro que o chargista cometeu foi lisonjear a inteligência coletiva. O próprio Laerte deve sofrer bastante com isso. Sadismo demais, criticar repetidamente a alguém que, POR CAUSA DE PÚBLICO BURRO, PERDEU O EMPREGO. Contradição do Sistema Bolsonarial, diria. Não desempregam legislador que atenta contra a lei em público, mas desempregam a alguém porque julgam que fez algo parecido com Bolsonaro, enquanto na realidade fez o contrário. Vai entender. Capetas.

Etiquetas