domingo, 13 de abril de 2014

DILÚVIO


A história do dilúvio, da arca, de Noé - sempre foi muito perturbadora para mim. Desde o tempo em que havia um Deus.
Lembro de imagens (Trópico Ilustrada) de gente morrendo, homens, mulheres e bebês. Eu sabia que Deus havia ordenado o massacre por causa de uma “maldade dos homens” (Gênesis, 6-5), mas não conseguia entender o que bebês haviam feito de mal. Anos mais tarde li que não foi o único massacre autorizado por aquele Deus. E também li que foi uma das poucas vezes em que Deus mostrou arrependimento: primeiro, por ter criado o ser que criou e, depois (Gênesis, 8-21), por tê-lo querido destruir. De um modo estranho, porque permitiu que restasse uma semente.
Alguns dos animais dessa amostragem se foram de vez, porque Noé, assim que o dilúvio termina, faz uns sacrifícios de “animais puros”, tirados da arca (que devem ter se extinguido ali mesmo).
Escrevi essas tonterias pensando no filme que lançaram agora, com um Noé de calças.
Russel Crowe que me desculpe, não vou ver não.

11 comentários:

Marcus Pessoa disse...

Essa parte do Gênesis é um cruzamento de dois textos diferentes, então há inconsistências matemáticas. Um dos textos fala em apenas um casal de cada espécie, mas o outro diz que é um par de cada animal impuro e sete pares de cada animal puro. Por isso que o sacrifício de animais puros não implica em extinção da espécie.

Anónimo disse...

e a inconsitencia lógica de que um ser onisciente, perfeito, supremamente bondoso etc que comete erros e é capaz de um massacre desses?

Marcus Pessoa disse...

Ai, amigo, desculpa, vou ficar sem responder essa, não paguei as mensalidades da ATEA e a minha carteirinha tá vencida.

Lucas Antonietto disse...

É meu dever informar que você vai perder um excelente filme... Independente de religião, vale a pena. Palavra de ateu.

Anónimo disse...

não conheço esse lance de ATEA, mas se vc curte evitar pensar nesses detalhes de repente é melhor economizar essa grana aí pro dizimo né.

Marcus Pessoa disse...

Posso quase sentir o perfume da sua empáfia vazia.

Sou ateu também, mané.

Anónimo disse...

bobão!

valeska g.silva disse...

Gênio!

Bruno Lopes Lima disse...

Laerte, nunca vi alguém detestar tanto calças quanto você...
=P

Anónimo disse...

O mais louco é nesses tempos de Alckmin/Seca/Falta de administração da Água no Estado termos um filme sobre chuva

mallorca disse...

Gostei da crítica, fui adventista!!Achei um mico para o ator de muitos filmes bons.

Etiquetas