sábado, 3 de Setembro de 2011

sobre incorreção política

Family Guy é um seriado que se aponta como exemplo de humor “politicamente incorreto”.
E é, no sentido de que essa expressão deva significar abordagens cáusticas e contundentes dos temas.
Mas me ocorreu comparar as traduções em português do título e da canção-tema.
Em inglês está presente grande dose de cinismo e de ironia. “family guy”, “good ol' fashioned values” - o sentido original desses termos, que remete às tradições americanas mais conservadoras, vira do avesso com qualquer momento da série - incluindo a própria apresentação, em versão reduzida.
O título e a letra em português elaboram um duplo sentido bobo e antiquado com a palavra “da pesada”, insinuando que o personagem é gordo.
Quanta elaboração, não?
É a diferença entre a incorreção politizada e a despolitizada.

A letra em inglês de Family Guy:


Louis: It seems today
that all you see
is violence in movies and sex on T.V.

Peter: But where’re all those good 'ol fashioned values on which we use to rely?

Chorus: Lucky there's a Family Guy
Lucky there's a man who
positively can do
all the things that make us-

Stewie: Laugh and cry

Chorus: He's a Family Guy

E em português:
Parece que hoje
Só o que se vê
É violencia e filmes de sexo na tv

Mas onde estão os bons e velhos costumes
Que costumavámos ter?

Uma delícia de família
Vivendo em harmonia
Sempre com alegria
Sorrindo todo dia

Contando piadas

Uma família da pesada




18 comentários:

Marcel disse...

Não diria que a tradução da canção-tema fuja muito do conceito original. Considerando as adaptações inevitáveis na tradução de qualquer canção, essa até se saiu bem.
Mas, realmente, o título é uma vergonha.

Observação: na tradução não é "contando piada", e sim "grande piada". Fica um pouco mais próximo da idéia geral do programa.

Rodrigo Chaves disse...

Um grande exemplo da diferença da diferença do politicamente incorreto bem usado e mal usado. Quando usado para questionar os valores morais e culturais, é muito válido, agora, quando é usado simplesmente para chocar e aparecer, é triste e de mau gosto.

Ramon Batista disse...

Mais uma tradução bem feita. Lembrando das traduções de: All About Eve (A Malvada), e The Godfather (O Poderoso Chefão).

Laerte, eu faço tirinhas também e gostaria muito da sua crítica.
este é o meu blog: http://urbanhead.tumblr.com/
e este é o meu email: ramondesenha@gmail.com

Muito Obrigado!

sergio.sergiodefaria@gmail.com disse...

simpsons heavy em ingles; simpsons pobre em portugues.

Bill disse...

A tradução - especialmente do coro - fugiu completamente do contexto original. Como podem dizer que foi uma boa tradução, argumentando que há outras piores?

Gabriel G; disse...

Laerte, na mosca.
Family Guy é um exemplo que costuma me vir à mente quando começa à conversa sobre "politicamente incorreto"

Aliás, a série é uma das melhores amostras de que ser "politicamente incorreto" também serve para posições mais à esquerda -- ao contrário do que pensam (?) alguns neoconservadores brasileiros. (Me pergunto se um "wannabe" como o Narloch assiste esse desenho...)

Lucas disse...

É Laerte, esse conservadorismo pobre e falso moralista conseguiu censurar o quadro [AdultSwim] do Cartoon Network! Eram os melhores desenhos, tão ácidos quanto Family Guy! Os Oblongs, por exemplo (procurem aí no youtube!)! E é claro q eles estragam (e censuram!) até as traduções e legendagens de Family Guy, Simpsons, American Dad, e outros! Vou-me embora pra Passárgada, que é o melhor que eu faço!

matheus aguiar disse...

a dublagem é um dog.

MC disse...

Exemplo perfeito da operação da ideologia: transformar tudo o que assusta em normal, banal, pacato. Uma simples tradução já mostra tanta coisa...

MC disse...

Aliás, catando onde escrevi sobre ideologia nos meus textos velhos, achei essa referência a você:
http://indecidable.blogspot.com/2010/09/das-ideologias.html

lembro bem da tua resposta, no lançamento da muchacha no rio, sobre esse comentário do chico caruso: o humor brasileiro tem certas obrigações discursivas, repetir sempre as mesmas piadas racistas, misóginas... e nada se cria...

pablo p. disse...

sempre que vem esse tema, lembro do comediante George Carlin. ele se dizia politicamente incorreto, mas isso tinha outro significado pra ele. não me lembro de uma piada dele que fosse ofensiva a um grupo oprimido. como exemplo, vale notar a diferença entre a piada "de estupro" dele, aqui: http://youtube.com/watch?v=VcFryjunIjw , com aquela do Rafinha Bastos.

tem uma GRANDE diferença entre as duas piadas (se é que podemos chamar o comentário do Rafinha de piada, porque não tem a menor graça), que envolve o alvo e o motivo delas. se o Carlin estivesse aí pra ver toda a intolerância que vem sendo lançada com a bandeira do "politicamente incorreto", tenho certeza que daria um bom puxão de orelha nessa minha geração.

josé fonseca disse...

Acho que o grande precursor dessa moda de desenhos animados "politicamente incorretos" é South Park, em termos de quão longe eles vão na acidez da crítica. Tem até um (dois na verdade) episódios da décima temporada cujo mote é Family Guy (Chama 'Cartoon Wars' Part I e Part II). A graça é ver como a 'irreverência cínica' do Family Guy é exposta como tola, quase infantil, e ao meu ver isso é porque a visão 'South Park' é mais pessimista, mais grotesca, mais realista no retrato do desespero individualista americano.Eu pessoalmente considero South Park uma espécie de síntese nietzcheniana do zeitgeist americano dessa década passada.
E eu nunca pensei que eu fosse escrever de maneira tão séria sobre isso, especialmente aqui!

josé fonseca disse...

para assistir online (tem todos os episódios, alguns mais sem graça que outros, alguns tem muita referência à cultura pop atual americana então falta um pouco de contexto, mas a maioria excelente, à parte da estética tosca)
http://www.southparkstudios.com/guide/episodes/s10e03-cartoon-wars-part-i

Anónimo disse...

http://www.southparkstudios.com/full-episodes/s10e03-cartoon-wars-part-i

Azul Jones disse...

Me parece claro que a midia e boa parte dos formadores de opinião mundo afora nao entende o que o termo 'politicamente correto' significa. Não posso culpá-los, afinal, na prática, vimos pouquíssimas amostras da execuçao deste conceito.

Já explico: quando alguem está sendo 'politicamente correto' está, na verdade, evitando qualquer conflito com o status quo político (e filosófico) do meio. Portanto, contar piada 'de preto', 'de bicha' e 'de gordo' não é politicamente incorreto, pelo contrário. Em um ambiente racista, homofóbico e preconceituoso (como este em que vivemos) onde os negros, os gays e os gordos são piadas prontas ambulantes aos olhos da maioria da população (e isso engloba os 'comediantes' e 'gênios do stand-up, obviamente), não ha ruptura com o status quo em achincalha-los em rede nacional. Se aparecerem amanha no zorra total contando piada 'de branco' e 'de hetero', aí sim conheceremos o que é o politicamente incorreto. Por enquanto, não temos A MÍNIMA idéia do que é isso...

DilmarX disse...

Verdades verdadeiras

Lilly Queers disse...

Nossa Laerte! Como vc é genial. Eu sempre tive a sensação disso que vc disse, mas nunca tive a capacidade de externar com tanta clareza. parabéns, nossa, como vc é ótimo! tô passada!

Luiza Poulain disse...

Como é bom ver escrito o que já havia passado pela minha cabeça antes.
Concordo plenamente, esse tipo de coisa me revolta. Há um grande problema no Brasil relacionado a esse tipo de coisa. Os responsáveis por traduções e adaptações só decepcionam.

Etiquetas