quarta-feira, 31 de julho de 2013

31-07-2013 (gata 18 - final)


16 comentários:

Rosana Cacciatore disse...

você adorável, laerte.

Rafael Barreto disse...

Heidegger prescreve exatamente esse problema - diante do fim, o homem, como o gato, diferente do homem grego, está sempre se sentindo vulnerável. O apartamento sem gato é sinal de que a impessoalidade venceu o tempo, mas não o ser.

Diana Pilatti disse...

Nossa, me deu uma tristeza... Arte é assim, faz crescer uma estranheza aqui dentro.

Fernanda disse...

Putz, cara... que SORTE a gente ter um artista como você. A sequência da gata foi uma das coisas mais bonitas que eu ja vi na vida. Agradeço a sua arte.

Annie Schmaltz Hsiou disse...

ótimo!

Anónimo disse...

terminou tão triste quanto a vida é mesmo

casa com 2 gatos disse...

nossa, que triste essa serie da gata... me pegou.

-sOliNo- disse...

MAS JÁ?

Sabina disse...

Laerte, essa série foi uma das melhores coisas que já me aconteceram. Sincera e dilaceradora. Quais as chances disso ser publicado?

Unknown disse...

quanta perfeiçao

Wagner Lopes disse...

Muito legal como o você mescla uma relação entre homem e animal de estimação, com relações entre homem e esposa / pai e filha.

As vezes ficava na duvida se a gata era um pet, ou a filha, ou a esposa do homem. Muito bom! :)

Anónimo disse...

ela se foi??????????????
ela não voltou????????????
não serve outro gato
:(
(Helen)

Roney Freitas disse...

...ouvi essa sabedoria popular também nos EUA, num debate após exibir um curta que dirigi... achei que fosse um dito daqui apenas, mas é universal esse conhecimento, percebi... "Are you a cat person?", me perguntaram - na hora estranhei a expressão, apenas sorri - e então me disseram, do isolamento felino em processo de morte... hoje, plenamente encantado com sua série gata, diria com certeza que "sim", além de sorrir ,) ...muito obrigado pela sensibilidade, pelo seu trabalho, pela gata. Abs!

João G. disse...

que coisa mais linda, laerte.
a quem se interessa, derrida escreveu um livro: animal que logo sou. vejam. bem de pertinho.

Velho Zumbi disse...

Nossa, que tristeza me deu, vou lá fora chamar minha gata pra entrar.

clasar disse...

nunca tive bicho, nunca entendi direito o apego. Só entendi agora, com quase quarenta anos, faltando 15 minutos para almoço de uma sexta-feira. Foda e tocante e belo, tudo junto. Obrigado. Mesmo.

Etiquetas