quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

eu, travesti - parte 1

30 comentários:

Laerte disse...

Aqui vai a nova série. Vou chamar de “partes” as partes dela.
Comecei esse blog com a idéia prévia de que as pessoas iam ler as tiras na Folha e acompanhar a seqüência toda nele.
Não é bem assim que tenho visto funcionar. Vocês (postantes) me dão a impressão de não terem visto o jornal.
Bom, é uma experiência - ainda tem tempo pela frente.

Leandro Robles disse...

Oba! Nova série!
Lindos os desenhos.
"garage" foi erro, ou proposital?

Renato Mendes disse...

Moro em Goiás, e por aqui, para mim, a Folha é artigo luxo para o final de semana.

Fontes disse...

Eu assino folha e acompanho aqui. Gosto de ler os comentários, e aqui as tirinhas saem antes ^^.

Gostei do começo da nova série, me deixou instigado.

Laerte disse...

Achei que garage era assim. Tem M, né?

Laerte disse...

Acho que eu prefiro garage.
E vernissage.

Érico San Juan disse...

Eu não vejo a Folha impressa todos os dias. Tenho acompanhado essas tiras seriadas por aqui mesmo.

Mario disse...

Pois então, Laerte, a sua audiência na Internet abrange o mundo todo e por isso é que poucos viram o material aqui e na Folha. Eu mesmo só leio o jornal aos domingos :-)

Garage pra mim não está errado, é apenas mais fiel à palavra original importada.

Hemeterio disse...

A lendária e precisa memória iconográfica do Laerte. Esse vestido modelo tia solteirona mil novecentos e tanto tá sensacional.

Leandro Robles disse...

Laerte, você deve estar escutando muito rap do Sabotage.

marcelo noah disse...

Le Brésil est larrrrrge, che maestro. Em lugares como Porto Alegro, p. ex., a Folha chega mais cara, então os raros que assinam muitas vezes o fazem somente no final de semana. De resto acompanham pela rede mesmo, que disponibiliza a tira num tamanho ofensivo para com o desenho e o internauta.

Ver as tiras no tamanho gracioso em que colocas aqui neste blog dá vontade de chorar - dream come true!

Contudo, é verdade que ver a tira no jornal, tocar o papel, recortá-la para usar como marcador de página, para logo depois colar a tira numa carta confessional a um amigo distante, ou para presentear um amigo próximo ao acaso do encontro... é mesmo outra epistemoçãologia aplicada.

Aqui a coisa tá linda!

Pedro Obliziner disse...

Bom, eu leio a folha na internet, então entre entrar aqui e entrar no seu quadrinho no site da folha, entro aqui, né? Mas acho que é normal as pessoas lerem só por aqui, típico de internet

Pan Box disse...

Eu realmente não vi no jornal, nenhuma. Não leio a Folha.


Enfim, gostei do nome da série.
Vou pegar a cerveja pra acompanhar.

Ricardo Sanchez disse...

Eu não leio jornal (coisa de velho). Mas acompanhava as suas tiras pelo rss das tiras da Folha (que creio que seja pirata, não tenho certeza).

Marcio Marques disse...

eu leio a folha (aconselho todos a lerem as tiras do Adão [em uma fase do caralho] do Angeli (que deve tramando algo para superar o Laerte [duvido, mas é legal pensar neles competindo, do tipo Beatles e Beach Boys, espero que não role porrada] e o Niquel Nausea (o caco galhardo é ótimo também, porém o personagem q ele usa na folha eu acho péssimo). Mas vejo o blog por causa dos comentários... eu (eu não, ele), travesti? ok, vc vai aguentar piadas sobre o Ronaldo "fenômeno" (acho que eu [neste caso eu mesmo] não...)

Rondinelly disse...

Interior da PB - onde vou buscar a Folha diária. Além do que, aqui é melhor...

Fabio Vicente disse...

Uau!

Laertón na blogosfera?
Já estou linkando no meu humilde blog de desenho e arte seqüencial!
Eu não vou escrever aqui que eu acho tudo o que você faz na linguagem do universo quadrinístico, seja do humor gráfico ou da metalinguagem, simplesmente o máximo, senão você ia achar que eu sou super fã do seu trabalho.
Ah... tá bom.
Eu sou super fã mesmo.
Abraço!

Pedro Obliziner disse...

"do tipo Beatles e Beach Boys" hahaha foi boa

Pan Box disse...

Realmente, eu ri com essa.

Leandro Robles disse...

O mais legal daqui é o clima de bate-papo que se instaurou nos comentários.
E isso não temos no jornal.

Laerte disse...

É verdade - blog tem isso de legal.
Agora, esse blogspot me parece que não tem uma ferramenta que eu já vi em outros (no zip.net, por exemplo), que é a possibilidade de responder em baixo de cada comentário.
Aqui não achei o caminho das pedras.

marcelo noah disse...

O YouTube tem esse recurso de resposta específica ao comentário x ou y, né? Só lembro de ter visto isso lá mesmo. Sei que no Wordpress tu podes conseguir uma área bem larga de coluna pro texto e pra imagem, o que é ótimo. Já o que uso, o Typepad, que é pago inclusive, não tem nada dessas possibilidades, para vocês verem como são as coisas. Ora bolotas!

Tuma disse...

Eu sou um dos que te acompanham pela Folha, Laerte, mas acredito que grande parte dos visitantes veja só por aqui mesmo, principalmente devido ao já citado problema de "exportação" do jornal para outros estados.

wilson costa disse...

Ainda bem que você colocou por aqui! Folha para mim só alguns domingos, ou cópia velha achada na sala de café.

mushi-san disse...

Laerte, para blog tem várias opções de sistemas e configurações, etc -_- Além do blogspot/blogger, o pessoal anda utilizando mais o wordpress. Não sou especialista no assunto, mas qualquer coisa posso tentar ajudar. Na verdade, acredito entre os cmentaristas deve ter gente bem mais gabaritada que eu para isso:)

Maíra disse...

wordpress só compensa se for usar com domínio próprio e tal. Daí vai do ânimo do Laertón para brincar com o blog. O Blogger é de graça, simples e eficiente. Mas, se precisar, podemos ajudar. :)

diogo disse...

faz tempo pensei num possível documentário, que acompanharia a saga de um cara disposto a se travestir, com silicone e tudo o mais. o título: "da larva à borboleta".

mushi disse...

Maira, o wordpress tem uma versão gratuita também, sem instalacao e etc, no molde do blogspot. Aparentemente eh o que o Dahmer dos Malvados usa atualmente.l

Maíra disse...

Oi, Mushi. Eu sei. Mas a versão gratuita do Wordpress não é lá muito melhor que o Blogger.

impropriedades disse...

Amplio o coro dos "eu só leio por aqui". (Ou melhor, eu leio por um leitor de RSS.)

Achar este blog foi uma emoção enorme, algo assim como encontrar os diários de adolescente de um bisavô. Estou encantado com ambas as experimentações: de estilo (cada vez mais poesia gráfica, como alguém já comentou), e de formato / local de publicação. Manda ver, Laerte, tá muito bom.

P.S. -- entre Blogger e Wordpress, sou bem mais o Wordpress, mesmo na versão gratuita. Pra mim, só a possibilidade de exportar o blog inteiro em um arquivo aberto já vale o Wordpress, que além de tudo é software livre.

Etiquetas